5 técnicas de Inbound Marketing para vencer a concorrência

09/08/2016 Por
técnicas de inbound marketing

Conheça algumas técnicas de Inbound Marketing para fazer sua empresa crescer e destacar-se das concorrentes

Um dos maiores desafios das empresas é ter destaque no mercado e vencer seus concorrentes. Afinal, a competição é (e sempre foi) o principal combustível para empresários investirem cada vez mais alto em seus respectivos negócios e estarem sempre atrás de novas soluções para oferecer às pessoas.

O segredo para uma empresa bem-sucedida está justamente aí: na captação e fidelização de clientes. Sem elas, o dinheiro não entra e o negócio não cresce.

Mas a forma como você atrai as pessoas para os serviços que sua empresa oferece mudou muito a partir do momento em que a tecnologia tomou conta do nosso dia a dia. Da mesma maneira, o método que você utiliza para converter essas pessoas em clientes fiéis à sua marca também é outro.

O que (quase) não mudou foi o nome: aquilo que antes era conhecido apenas como Marketing (ou Outbound Marketing), hoje é conhecido como Inbound Marketing — ou “Marketing de atração”, para os íntimos.

Mas por que o Inbound Marketing é tão importante para as empresas? Como ele pode atuar para que o seu negócio cresça e se destaque da concorrência? Antes de responder a essas e outras perguntas, é preciso entender exatamente o que é Inbound.

O que é Inbound Marketing?

Diferentemente do que ocorre com o Outbound Marketing, no qual as empresas vão atrás do cliente por meio de anúncios e oferecendo promoções “imperdíveis”, no Inbound Marketing acontece o movimento contrário: são os próprios consumidores que vão atrás da empresa.

Parece a solução para todos os seus problemas, não é? Pode até ser mesmo, desde que você saiba aplicar corretamente as técnicas de Inbound Marketing no seu negócio.

Quais são as etapas?

O Inbound consiste basicamente em uma série de estratégias de Marketing Digital, cujo foco é atrair visitantes para a plataforma digital da sua empresa. Essas estratégias podem ser classificadas em quatro etapas:

  1. Atração
  2. Conversão
  3. Fechamento
  4. Fidelização

Esse processo de atração, conversão, fechamento e fidelização do usuário está intrinsecamente ligado ao Marketing de Conteúdo, que nada mais é do que a produção de conteúdo voltada para essas quatro etapas.

Aplicadas também à captação de leads, elas formam aquilo que é conhecido como Jornada de Compra, que instiga o interesse do usuário e pode transformá-lo em potencial cliente.

Junto com outras técnicas de Inbound Marketing, como a criação de Buyer personas, co-marketing, produção de conteúdo diversificado e de qualidade e foco nas palavras-chave mais buscadas, a jornada de compra também ajuda a colocar a sua marca no topo das pesquisas no Google.

Abaixo, você vai entender melhor por que é preciso se preocupar com os mecanismos de buscas (como o próprio Google, que é responsável por 99% do tráfego de pesquisas na internet) e de que forma essas e outras técnicas de Inbound Marketing podem fazer a sua empresa se destacar das demais.

Como as técnicas de Inbound Marketing podem fazer você se destacar da concorrência?

Para fazer a sua empresa saltar aos olhos dos consumidores e espantar a concorrência, separamos cinco técnicas de Inbound Marketing para você conhecer e aplicar no seu negócio. Conheça um pouco sobre cada uma delas:

1. Defina as Buyer Personas

As estratégias de Marketing Digital e Inbound Marketing precisam sempre levar em conta o público que se deseja atingir. Só que muitas vezes o público-alvo não é um somente.

Pensando nisso, foi criado o termo Buyer Persona, que, como o nome sugere, é uma espécie de personagem criada justamente para ajudar a empresa a entender melhor quem são os clientes e quais são suas necessidades.

O objetivo das personas é descrever com o máximo de detalhes quem seriam os compradores ideais para o serviço ou o produto que uma empresa tem a oferecer. Por isso, na hora de criar as personas, está permitido soltar a imaginação.

Dê a ela um nome, idade, profissão, especifique a renda mensal e atribua a ela gostos pessoais, áreas de interesse, além de um perfil de comportamento bem definido.

Não se esqueça de listar também quais são os principais desafios enfrentados por ela e deixar bem claro por quais motivos ela poderia se interessar pelos serviços de sua empresa.

2. Crie um blog (e não deixe de postar)

As quatro etapas que caracterizam as estratégias de Inbound (atração, conversão, fechamento e fidelização) podem — e devem — ser aplicadas na produção de conteúdo também. E é justamente nisso que consiste o que chamamos de Marketing de Conteúdo.

A ideia é basicamente montar um blog para postar textos relacionados ao segmento da sua empresa. Mas o conteúdo criado tem que ser estratégico e pensado justamente nas Buyer Personas que você criou.

Porém, além de fazer o blog, é muito importante mantê-lo sempre atualizado, com boa periodicidade de postagens e, claro, com conteúdo relevante e de muita qualidade. Para isso, você pode se inspirar nos seus concorrentes, mas aposte em pautas diferenciadas, com conteúdo inovador e original.

E para saber exatamente que tipo de pautas elaborar, é só se perguntar: sobre o que o meu cliente gostaria de ler a respeito? Como fazer para aplicar os conceitos de Inbound nos textos do blog? De que forma esses textos podem ajudar a captar leads e aumentar as vendas do meu negócio?

A resposta está no tópico a seguir.

3. Percorra toda a Jornada de Compra

O conceito de Jornada de Compra também leva em consideração as etapas de Inbound, mas com algumas diferenças. Em vez de quatro, a jornada tem cinco etapas. São elas:

  1. Aprendizado e descoberta
  2. Reconhecimento do problema/oportunidade
  3. Consolidação da solução
  4. Avaliação e compra
  5. Atendimento e suporte

O objetivo é criar conteúdos diferentes para cada uma dessas etapas, sempre pensando nas Buyer Personas.

Assim, você elabora uma jornada de textos que vai levar o usuário do interesse pelo tema à efetivação da compra, deixando-o plenamente satisfeito e com um sorriso de orelha a orelha. Funciona assim:

Primeiro você cria conteúdos para captar atenção e despertar o interesse da pessoa por um tema. Depois você escreve outros textos, desta vez mostrando a ela que existe um problema e que ela precisa dos seus serviços para resolvê-lo.

Mas você vai fazer isso sem nem ao menos mencionar o nome da sua empresa (por enquanto). Faz parte da Jornada de Compra fazer com que o leitor perceba, primeiro, por que ele precisa dos serviços que você tem a oferecer para só depois conhecer o serviço de fato.

A partir do momento em que a pessoa já identificou o problema e o que precisa ser feito para solucioná-lo, você entra com a solução, avaliando possíveis alternativas e criando um senso de urgência para fechar a venda. Nessas duas etapas, você deve criar conteúdos atraentes que deem ao leitor quantos motivos forem necessários para que ele se convença de que realmente precisa do que sua empresa está oferecendo. E aí sim é válido você mencionar a sua marca.

A última etapa, porém não menos importante que as outras, consiste em fornecer atendimento de qualidade para garantir a satisfação do cliente. Como fazer isso? Com conteúdos que alimentem o interesse da pessoa pelo tema e a mantenham sempre bem informada.

Afinal, não adianta fechar a venda e depois abandonar o cliente. A Jornada de Compra existe justamente para fidelizá-los, de modo que eles virem “promotores” da empresa e indiquem seus serviços para amigos, ajudando a captar leads.

4. Não se esqueça das palavras-chave

Na hora de produzir conteúdos, não basta simplesmente escrever bem. É claro que um texto de qualidade é imprescindível para garantir autoridade e passar confiança para os potenciais clientes, mas uma boa redação não é suficiente para que a sua empresa se destaque da concorrência.

Para que isso aconteça, é preciso levar em conta uma técnica de Inbound bastante conhecida dos maiores portais da internet: Searching Engineering Optimization, também conhecido como SEO.

O SEO consiste numa série de técnicas e estratégias para aumentar os acessos de um site. Elas têm como principal objetivo melhorar o posicionamento nos mecanismos de buscas, de forma que a plataforma da sua empresa apareça logo nos primeiros resultados.

Hoje, o Google concentra quase a totalidade do tráfego de pesquisas na internet, então a preocupação recai inteira sobre os algoritmos definidos pela empresa norte-americana. Por isso, o SEO deve estar focado naquilo que o Google considera mais relevante e merecedor do topo das pesquisas.

Existe, portanto, uma série de boas práticas que ajudam um site a ser priorizado pela empresa no momento das buscas. A principal delas é o uso de palavras-chave.

Quando você insere uma palavra-chave bem buscada num conteúdo produzido para internet, o Google vai prestar mais atenção no que você escreveu. Só que não basta usar a keyword uma vez. Quanto mais você repeti-la durante o texto, melhor —  mas sem deixar de lado a qualidade, é claro.

Insira a palavra-chave no título, no subtítulo, na meta-descrição (que é aquele pequeno texto que aparece logo abaixo do título nos resultados do Google), na URL (o endereço do site) e repita ao longo do post, tanto no corpo do texto quanto em headlines, também conhecidas como “retrancas” ou inter-títulos.

Para saber quais são as palavras-chave mais bem buscadas, você pode usar algumas ferramentas online que servem exatamente para isso, como o Google Adwords, que é bem fácil de mexer.

Mas por que é tão importante se preocupar com a posição que a sua empresa vai ocupar nos resultados do Google?

Você mesmo pode responder a essa pergunta fazendo uma simples busca no site. Você verá que aparecerão milhares e milhares de resultados.

Se você não se preocupar com SEO, e principalmente se a sua plataforma (ainda) não tiver muitos acessos, é muito provável que ele apareça lá atrás quando alguém fizer uma pesquisa. E se você usa o Google, você sabe que a grande maioria das pessoas não passa das primeiras páginas de resultados.

Um bom ranqueamento nos mecanismos de buscas ajuda a aumentar os cliques e, consequentemente, aumentar as vendas também, fazendo com que você cresça e ganhe destaque no mercado.

5. Pense em fazer Co-marketing

Também chamado de “Marketing colaborativo“, o co-marketing é um conceito relativamente novo no Brasil, mas que já se mostrou uma excelente estratégia para vencer a concorrência quando o assunto são técnicas de Inbound Marketing.

O co-marketing acontece quando duas empresas que não são concorrentes, mas que pertencem ao mesmo segmento, decidem se juntar para potencializar os resultados.

Como elas não competem entre si, mas atingem o mesmo público-alvo de diferentes maneiras, a união faz todo sentido, já que as empresas terão acesso à base de clientes uma da outra.

No fim das contas, o co-marketing também ajuda a economizar custos. Com a junção de forças, as empresas dividem seus gastos e as responsabilidades, permitindo que os colaboradores tenham tempo para se dedicar a atividades que acelerem o crescimento do negócio.

Ficou alguma dúvida? Qualquer coisa, entre em contato conosco!

tecnicas-de-inbound-marketing

Fundadora da Layer Up - empresa especializada em Inbound Marketing. Graduada em Comunicação Social (produção editorial), pós-graduada em Marketing, possui 15 anos de experiência profissional, com atuações em empresas como Editora Abril, Editora Globo, Editora 3, Grupo Ikezaki e Cers Cursos Online. É também professora do curso de Inbound Marketing da São Paulo Digital School e do Cursos Layer Up.