O que faz um Growth Hacker?

20/09/2016 Por
growth-hacker

Descubra qual o trabalho do Growth Hacker e veja como aplicar suas estratégias a favor do Marketing Digital da sua empresa!

A expressão costuma confundir quem associa a figura do hacker como aquele que invade sistemas de computação para finalidades ruins. Na direção oposta, o Growth Hacker é o profissional especializado em crescimento. Isso mesmo: Growh Hacking – como é chamada essa área de atuação  – pode ser traduzido como “a invasão do crescimento”, ou seja, é uma área da tecnologia em que o hacker adota ou reformula estratégias para impulsionar o crescimento da sua empresa.

O termo foi cunhado em 2010 pelo empreendedor norteamericano Sean Ellis, do Vale do Silício, que definiu o Growth Hacker como “aquele cujo verdadeiro norte está no crescimento.”

O especialista em Growth Hacking analisa toda a estrutura da empresa de modo a identificar possíveis oportunidades para aumentar o número de Leads ou as métricas de conversão de um produto ou serviço.

Os serviços do Growth Hacker costumam ser procurados por aqueles que precisam diagnosticar quais os pontos fracos da empresa que precisam ser revistos e quais os fortes a serem impulsionados para melhorar o desempenho de todo o negócio. O hacker se dedica a avaliar não apenas o departamento de Marketing, propondo novas ações também para outras áreas da empresa, como finanças, administração e até recursos humanos.

O que é preciso saber para ser Growth Hacker?

Para quem decide trabalhar com Growth Hacking, tanto atuando diretamente quanto contratando os serviços de um Growth Hacker, é importante ajustar a marca à realidade do mercado.

O hacker conecta a empresa com o seu público-alvo visando o crescimento direto nos números do negócio. Para isso acontecer, ele tem de ser criativo não só para descobrir novas abordagens que conduzam a curva de crescimento, como também aplicar técnicas que foram bem-sucedidas em outras empresas para ver se obtém resultados parecidos.

Características de um Growth Hacker:

1. Perfil análitico: é redundante afirmar isso, mas é importante saber analisar dados e métricas para definir quais mecanismos trazem os melhores resultados e quais precisam ser revistos para não comprometer o crescimento da empresa.

2. Criatividade: pensar em saídas para os problemas e em soluções criativas para otimizar as ações gerais da empresa, impulsionando suas vendas.

3. Conhecimento das ferramentas de Marketing Digital: imprescindível para aqueles que querem criar notoriedade no digital a partir da construção de uma imagem de credibilidade e de relevância perante o público-alvo.

 

Growth Hacking x Marketing Digital

Acho que ficou claro o papel do Growth Hacker para alavancar os números da empresa, mas em que parte ele se relaciona com o Marketing Digital?

Da mesma forma que monitoramos as ações no Marketing Digital visando acompanhar o desempenho de suas campanhas, no Growth Hacking cada detalhe – sistemas, hardwares, métricas, taxas de conversão, etc – é minunciosamente analisado. Talvez a principal diferença é que o Growth Hacker tem como meta essencial o crescimento, enquanto que no Marketing Digital – especialmente no Inbound Marketing – também direcionamentos nossos esforços para atrairrelacionar converter Leads.

A ideia é que cada decisão no Growth Hacking sempre tenha em vista qual será o impacto de cada escolha no crescimento do seu negócio.

Outra semelhança com o Marketing Digital é que o Growth Hacker também leva em consideração conceitos, como experiência, jornada do consumidor e funil de vendas antes de tomar alguma decisão.

 

Quais são as ferramentas de Marketing Digital utilizadas pelo Growth Hacker?

Apesar de o trabalho no Growth Hacking ser mais técnico, pois demanda conhecimento prévio de ferramentas de programção, é possível por em prática suas ações por meio de técnicas já conhecidas pelos adeptos das estratégias de Marketing Digital. Veja algumas:

  • Aquisições virais: criação ou impulsionamento de conteúdos compartilhados por usuários existentes que viralizam, atraindo novos usuários para a sua empresa e mantendo os antigos. Colocando de outra forma: é uma estratégia para “ficar na boca do povo”, principalmente do “povo” que te interessa.
  • Aquisições pagas: reúnem as estratégias de SEM – Search Engine Marketing -, tais como links patrocinados, anúncios pagos em diferentes mídias, etc.
  • E-mail marketing: estratégia conhecidíssima de Marketing Digital para se relacionar com clientes, mantendo-os fiéis à sua marca ao oferecer suporte, atendimento e/ou conteúdos exclusivos. Serve tanto para manter leads quanto para converter novos.
  • SEO (Search Engine Optimization): também bastante conhecido no Marketing Digital, o SEO engloba uma série de técnicas para otimizar seu site e deixá-lo bem colocado nas buscas orgânicas, isto é, nas buscas espontâneas feitas pelo usuário no Google ou em outros buscadores. No Growth Hacking, ela serve para construir uma estrutura atrativa para potenciais leads, tal como no Marketing.
  • Inbound Marketing: como já explicamos no blog, o Inbound trabalha com estratégias para atrair potenciais clientes, oferecendo-os serviços e conteúdos para “educá-los” e incentivá-los a chegar até o final do funil de vendas, em que vem a parte de relacionamento e fidelização de clientes para que eles sempre retornem. É essa a lógica para o Growth Hacking, só que o foco está na análise de dados e métricas: tráfego, cliques, feedbacks, interações, comentários, e-mails, etc.

Descobriu o que faz um Growth Hacker? Se ficar alguma dúvida ou quiser saber mais sobre o trabalho da Layer Up, é só entrar em contato!

pequenas-empresas

Fundadora da Layer Up - empresa especializada em Inbound Marketing. Graduada em Comunicação Social (produção editorial), pós-graduada em Marketing, possui 15 anos de experiência profissional, com atuações em empresas como Editora Abril, Editora Globo, Editora 3, Grupo Ikezaki e Cers Cursos Online. É também professora do curso de Inbound Marketing da São Paulo Digital School e do Cursos Layer Up.