Por que o Google Analytics faz toda diferença?

30/05/2017 Por
o-que-google analytics

Conhecido por quase todos que lidam com ações de Marketing Digital, mas pouco familiarizado. Vamos falar de: Google Analytics!

Ele é famoso, mas nem sempre amado. É muito útil, mas há quem desconfie de sua atuação. É o mecanismo que considero primordial ao se ter um site. Eis o Google Analytics!

Essa é uma ferramenta simples e de fácil acesso, mas que ainda conta com a rejeição de alguns empresários pelos mais diversos motivos.

Se você acha que o Google Analytics não tem muita serventia para seu empreendimento, talvez mude de ideia ao chegar ao final desse texto.

Tenho muita coisa para falar sobre a plataforma que chegou há mais de dez anos no mundo online e tem se mostrado atemporal, provando sua eficiência contínua.

Quer saber os motivos? Vem comigo que vou te mostrar os porquês!

Preciso mesmo instalar?

Uma das primeiras perguntas que costumo fazer quando um cliente procura os serviços da Layer Up é: o Google Analytics está instalado?

Ela está na lista de questões básicas por dois motivos:

Primeiro – é extremamente importante atrelar o site de uma empresa, ou o blog, a uma conta do Analytics, porque isso fará toda diferença na estratégia de Marketing Digital.

Segundo – mesmo que seja importante, ainda há quem pense que por ser gratuita essa plataforma não fornece dados corretos, ou que as métricas não importam, ou ainda que não teria tempo de acompanhar a ferramenta quando lançou o site e ficou por isso mesmo. Esses são mitos que levam ao grande erro de não aderir a esse mecanismo.

O Google Analytics é uma plataforma DMP (Data Management Plataform) como expliquei aqui, capaz de gerar relatórios eficientes de forma automática, em tempo real, e que oferece diversas possibilidades de análise, ajudando a melhorar o posicionamento de sua marca no mercado.

 

As ferramentas de análise são inúmeras. É possível:

  • Personalizar relatórios;
  • Criar alertas no caso de mudanças repentinas;
  • Ter análises específicas como as voltadas para conteúdo e dispositivo mobile;
  • Criar segmentos avançados, ou seja, delimitar “grupos” dentro do seu público, levando em consideração fatores demográficos, ou comportamentais, por exemplo.

Esses são apenas alguns exemplos de como obter estatísticas relevantes com o Analytics. A seguir, você saberá exatamente o que ele pode fazer pelo seu negócio e quais são seus benefícios.

No dia a dia, como o Google Analytics me ajuda?

Com o Google Analytics, é possível ter informações muito valiosas para sua empresa. Vou citar alguns exemplos para ilustrar melhor como essa ferramenta pode te ajudar.

  1. Termômetro de aceitação

Ao fornecer dados como tempo médio em que o visitante fica no website,a ferramenta ajuda você a entender se o site está, ou não, bom por um indicar muito simples: quanto tempo as pessoas ficam no seu site.

Normalmente, velocidade, dinâmica de navegação e conteúdo atrativo são elementos que transformam a experiência do internauta e aumentam a permanência no site.

Lembre-se: não adianta registrar quatro mil visitantes por mês e ter uma média de permanência de somente 3 segundos. Todas as métricas precisam estar com bom desempenho, de forma harmoniosa.

 

  1. Bússola para erros e acertos

O Google Analytics pode assumir a função de uma bússola para sua empresa e indicar qual é a melhor direção a seguir. Se a página de determinado post de um blog tiver pouco acesso, pode significar que o tema não despertou o interesse do público.

Mas se os números forem um sucesso, que tal desenvolver mais opções de materiais sobre o mesmo assunto e melhorar a divulgação?

Anote: O conteúdo tem sempre que estar alinhado com o perfil do público.

 

  1. O caminho das pedras

Saber como os visitantes chegam até seu site é muito importante para entender como os canais impactam o seu público-alvo e se seus investimentos em divulgação estão valendo a pena.

Imagine que você investe em anúncios no Facebook e também no LinkedIn, mas 80% dos visitantes que acessam seu blog chegam pelo LinkedIn.

Será que vale manter o investimento no Facebook? Ou é melhor traçar uma nova estratégia? Dados como esse ajudam a decifrar qual o melhor trajeto para guiar seu futuro cliente até seu produto ou serviço.

 

O mesmo raciocínio vale para os demais meios de acesso, que podem ser:

  • Pela própria URL;
  • Pela busca do Google;
  • Por outras redes sociais, como o Instagram;
  • Por dispositivos mobile.

O Google Analytics reúne todas essas informações em um indicador chamado Aquisição. O fato de unir essas possibilidades de fonte em um relatório único, agiliza muito seu processo de análise.

 

  1. Quem são eles

O perfil dos visitantes pode ser mais facilmente desenhado com a ajuda do Analytics. Não só pelos dados indicados pela plataforma que mostrei aqui nesses itens, como também por apresentar de quais regiões os visitantes são, se estão na sua cidade de atuação, ou até mesmo em outro país.

Saber quem é seu público, com informações detalhadas, é hoje como encontrar o mapa do tesouro. Siga as pistas fornecidas pela plataforma, crie a Buyer Persona e chegue até a conversão de venda.

 

Principais indicadores

Além de reforçar aos clientes Layer Up que não devemos abandonar o Google Analytics e que temos de manter uma rotina de acompanhamento, costumo apresentar dois indicadores que considero essenciais. São eles, principalmente, que guiam nossa metodologia de análise.

Aqui estão:

Público-alvo

Já falei que essa plataforma revela informações importantes sobre o perfil do público, como os registros demográficos. Mas ainda há outros dados muito legais que merecem atenção:

  • Idioma do visitante;
  • Número de usuários únicos;
  • Número de sessões (diárias, semanais, mensais, anuais);
  • Taxa de rejeição.

Alguns esclarecimentos:

*A taxa de rejeição ocorre quando se abre apenas uma página do seu site. Olha a explicação do próprio Google:

“No Google Analytics, a rejeição é calculada especificamente como uma sessão que aciona uma solicitação única ao servidor. Isso ocorre, por exemplo, quando um usuário abre uma única página do seu website e, em seguida, sai sem acionar outras solicitações ao servidor do Google Analytics durante essa sessão.”

**Para quem tem dúvidas sobre o que é uma “sessão” dentro do Analytics, aí vai uma explicação rápida.

Segundo o Google, esse número é medido com base no acesso e retorno do usuário. Se uma nova visita ocorreu em maio e no mês seguinte o usuário retornou, pode-se contar duas sessões. Por causa dessa frequência, o total de sessões supera o de usuários únicos.

 

Comportamento

Na explicação sobre sessão, falei sobre frequência e esse é um item que tem bastante relevância aqui.

Seria interessante saber qual a porcentagem de novos visitantes dentro do total de sessões, certo?

Isso é uma realidade no Google Analytics, já que a ferramenta registra o IP do usuário, o que permite a identificação da frequência. Quem faz o acesso logado pelo Gmail também é facilmente reconhecido.

E qual é a importância de saber se há um novo visitante, ou se são sempre os mesmos?

Bom, tem alguns motivos para analisar esse comportamento. O primeiro deles é um tanto quanto óbvio. Se o objetivo é crescer e ampliar a carteira de clientes, constatar que novos visitantes estão chegando é sinal de que você está na direção certa.

Por outro lado, se seu site atinge sempre as mesmas pessoas, isso pode significar uma estagnação e a estratégia de comunicação precisa ser revisada.

 

Outra questão é entender se uma ação está surtindo efeito, ou não, afinal é possível comparar o “antes e o depois” pelo Analytics.

Com a implementação de atividades do Marketing Digital, por exemplo, é comum ver o percentual de novos usuários aumentar e o comparativo ajuda a medir o desempenho das campanhas.

Você dita seu tempo

A periodicidade de análise vai depender do perfil do seu negócio.

O ideal para todas as empresas é que ao menos uma vez por mês os dados do Google Analytics sejam avaliados e levados em consideração na tomada de decisões.

Uma empresa que possui um material institucional em seu site, por exemplo, provavelmente terá um número de sessões mais baixo. Com pouca oscilação, é possível aumentar o intervalo de acompanhamento.

Já um portal informativo, reconhecido, que tem atualizações constantes, precisa de mais atenção.

Aqui na Layer Up temos o exemplo do blog Exame de Ordem, que tem em média mais de 10 mil sessões diárias. Nesse caso, é preciso dedicação constante, já que o desempenho de um tema factual pode superar as expectativas de acesso e é possível pensar em ações de divulgação em torno disso.

7 verdades sobre o Google Analytics

Depois de tanta informação, é bom sintetizar tudo o que apresentei aqui para deixar bem claro que o Google Analytics é, sim, muito benéfico para seu negócio. Por isso selecionei as seguintes afirmações verdadeiras:

  • Os dados da versão gratuita são confiáveis.
  • É indispensável atrelar seu site ou blog ao Google Analytics, principalmente por ser uma das ferramentas gratuitas de métricas mais completas.
  • Cada perfil de negócio terá uma rotina de acompanhamento, mas em todos os casos é necessário checar como está o desempenho do site.
  • Instalar essa ferramenta é fácil e qualquer programador pode fazer isso rapidamente.
  • Se sua empresa não é um e-commerce de marca internacional, por exemplo, você não precisa usar a versão paga do Analytics, que inclusive tem um custo bem alto.
  • Sim, ao analisar os relatórios da plataforma você pode descobrir informações valiosas sobre seu público e usá-las para impactá-lo de forma certeira e eficiente.
  • E se você não analisar as métricas regularmente, as chances de errar feio com o consumidor são grandes. Vou até compartilhar um vídeo divertido que o Google Analytics produziu para mostrar como uma estratégia mal feita pode desviar a atenção dos seus clientes e impactar negativamente:

 

Razões para usar o Google Analytics não faltam! Se você ainda ficou com alguma dúvida, deixe um comentário aqui embaixo.

Você também pode conhecer um pouco mais a Layer Up e entender como podemos te ajudar a melhorar o desempenho da sua marca no mercado, é só falar conosco.

 

Fundadora da Layer Up - empresa especializada em Inbound Marketing. Graduada em Comunicação Social (produção editorial), pós-graduada em Marketing, possui 15 anos de experiência profissional, com atuações em empresas como Editora Abril, Editora Globo, Editora 3, Grupo Ikezaki e Cers Cursos Online. É também professora do curso de Inbound Marketing da São Paulo Digital School e do Cursos Layer Up.