Campanhas de geolocalização: conheça os prós e contras desta ativação

O marketing digital está sempre em desenvolvimento para ser cada vez mais assertivo. Nesse cenário, a geolocalização se tornou um meio interessante para segmentar ainda mais campanhas e entregar resultados para o público certo, na hora certa.

Esse tipo de campanha, conhecida como geomarketing, pode ser utilizado por vários mercados que procuram precisão na hora de investir. Mas mesmo que pareça a solução mais prática e certeira, a privacidade é uma questão que incomoda muitos usuários. 

Por isso, hoje falaremos sobre os dois lados: as vantagens e as desvantagens em utilizar a geolocalização no seu planejamento de marketing. Confira!

Geolocalização: por que utilizar?

Como já falamos, a principal vantagem do geomarketing é a possibilidade de entregar conteúdos relevantes para públicos específicos, que realmente tenham interesse no assunto. 

É também uma maneira de deixar claro para o usuário que o que ele precisa está próximo a ele. Dessa forma, a geolocalização pode ser útil tanto para o cliente, quanto para a empresa.

Tipos de geomarketing ou geolocalização

As campanhas de geolocalização dependem de duas coisas importantes: um smartphone com acesso à internet e um GPS ativado. Com esses dois pontos, as marcas terão informações como a localização atual ou os lugares que foram visitados recentemente. 

Mas existe mais de uma forma de fazer o geomarketing. Citaremos as principais a seguir!

Geotargeting

Essa é a maneira mais conhecida de geomarketing. Muitas campanhas já utilizam esse meio de geolocalização ao englobar apenas o público de um determinado país, estado, cidade ou bairro.

Várias plataformas, como o Google Ads ou o Facebook Ads já oferecem esse tipo de segmentação. 

Sites

Hoje em dia muitos sites pedem permissão do usuário para ter acesso à sua localização. É aquela notificação que aparece no canto superior esquerdo da tela, com a mensagem “esse site deseja saber a sua localização”. 

Nesses casos, é possível oferecer conteúdos personalizados de acordo com a região do usuário. Ou, em um e-commerce, ao saber a geolocalização de quem está acessando o site, a apresentação de produtos pode ser feita por meio da disponibilidade para determinado estado, cidade ou até mesmo bairro. Dinâmico, né?

Check-ins

Os check-ins são comuns principalmente no Facebook. É normal que esse recurso seja utilizado como um meio de troca.

Por exemplo, o usuário faz o check-in em um estabelecimento e ganha acesso ao wi-fi ou um desconto exclusivo

Para que seu estabelecimento passe a ter a opção de check-in, basta criar uma página no Facebook dentro da categoria de Negócios Locais.

Automaticamente o aplicativo já conseguirá identificar e disponibilizar essa opção aos usuários. 

Geotagging

O geotagging também é uma prática muito conhecida no Facebook e no Instagram. Sabe quando fazemos um post e marcamos o local onde estamos? É isso! 

Como se trata de uma ação que parte do usuário, é um bom meio de divulgação espontânea da sua marca.

Por isso, não perca tempo: crie um perfil no Facebook com o endereço correto do seu negócio e pronto!, sua empresa já poderá ser marcada por quem estiver no local.

Geofiltros

Outro exemplo de geolocalização são os geofiltros. Popularizados há anos com o Snapchat, a vantagem dessa técnica é conseguir identificar a localização do usuário pelo GPS no momento em que ela utiliza o filtro para tirar uma foto

Muito utilizados no Instagram, os geofiltros podem ser desenvolvidos até por marcas ou lojas, para divulgar o estabelecimento no dia a dia ou em algum evento especial. 

O outro lado da moeda: as desvantagens da geolocalização 

A privacidade e sensação de insegurança são algumas das principais desvantagens em torno do geomarketing.

Como são solicitadas muitas informações pessoais, incluindo dados como localização e endereços, alguns usuários não permitem que a geolocalização seja ativada.

Desse modo, as empresas que estão investindo não vão conseguir ter acesso aos dados

O consumidor em potencial também pode sentir-se invadido pela sugestão.

Contudo, as companhias que lidam com esses dados, como o Facebook e o Google, garantem que todas as informações são protegidas e apenas o geral – como nome e localização – são compartilhadas com outras agências.

E aí, decidiu se utilizar geolocalização vale a pena para o seu negócio?  

Caso sua empresa escolha usar essas técnicas, talvez seja preciso explicar ao usuário sobre a sua privacidade e segurança.

Outra estratégia que pode ajudar ao seu negócio a atingir os usuários de forma mais assertiva é o mapa de calor. Saiba mais em nosso blogpost:

Posts Relacionados

Deixe um comentário