Marketing de conteúdo: estratégias de texto que sua empresa deve usar agora

Você já ouviu falar que informação é a moeda de troca da internet? Não existe verdade mais absoluta que essa, inclusive quando o assunto é marketing de conteúdo! Pense nas redes sociais que você mais usa: todas elas existem para que as pessoas compartilhem fotos, ideias ou pensamentos a respeito de qualquer assunto.

Indo mais além, reflita um pouco sobre os seus hábitos online: você certamente consome com frequência materiais produzidos por determinado blog ou canal do YouTube, certo?

Todas esses pontos nos levam a confirmar que o marketing de conteúdo é uma estratégia essencial para qualquer empresa que busca ganhar algum tipo de autoridade ou visibilidade na rede.

Mas não basta fazê-lo de qualquer forma. Existem algumas técnicas de produção de conteúdo utilizadas por especialistas que geram muito valor para marcas e que são capazes de garantir resultados para a sua empresa.

Em um cenário em que 73% das empresas brasileiras investem em marketing de conteúdo (segundo pesquisa da ContentTools, realizada em 2018), ficar de olho nessas técnicas é essencial. Mais ainda é aplicar, claro!

Por isso, trouxemos nesse blogpost as principais técnicas de marketing de conteúdo para textos. São estratégias que usamos em nossos materiais e que são responsáveis pela atração e nutrição dos leads que trabalhamos em nossos funis.

Quer conhecer quais podem ser utilizadas na sua empresa? Continue acompanhando abaixo:

Invista no SEO

O que é SEO

Vamos começar do mais óbvio: SEO é uma técnica indispensável para qualquer empresa que deseja ser encontrada de alguma forma na rede. Afinal, quando buscamos por algum serviço ou produto, nossa primeira atitude é pesquisar um pouco mais sobre o assunto em mecanismos de pesquisa, como o Google.

Por isso, é essencial que qualquer página da sua empresa seja construída de forma 100% embasada em técnicas de SEO, sejam elas off-page (na estrutura de códigos do site), ou on-page (diretamente no conteúdo).

Como aqui estamos falando da produção dos conteúdos, para otimizar o seu site em SEO, é essencial fazer uma seleção de palavras-chave relevantes para o negócio e realizar um estudo sobre a concorrência, para entender as estratégias das demais empresas.

Aqui no blog nós já falamos um pouco sobre como começar a otimizar o seu site on-page. Mas, além de estruturar o seu site de forma que ele seja interessante para os mecanismos de pesquisa, também é fundamental alimentar um blog com conteúdos.

Assim, a sua empresa trabalha um volume maior de palavras-chave, tem a chance de aumentar o território no Google, abordar diferentes dores ou dúvidas da sua persona e cria autoridade no mercado. Você já começou?

Onde aplicar: em páginas do seu site, landing pages e no seu blog.

Faça conteúdos persuasivos com o copywriting

O que é copywriting

Outra técnica praticamente obrigatória para quem quer gerar leads por meio da internet, é se comunicar da forma ideal com a sua persona em todos os seus conteúdos. No marketing, chamamos a técnica de copywriting.

Com essa estratégia, você mapeia quais são as principais dores do seu público-alvo. Essa informação é a chave para que você consiga desenvolver na comunicação a melhor linguagem, o tom mais adequado e, claro, os principais argumentos para usar a favor do seu produto ou serviço.

Mas não é apenas isso. O seu conteúdo deve ser altamente persuasivo e atender alguns critérios básicos. Por meio do copywriting, você deve ser capaz de:

  • Chamar a atenção do usuário
  • Mostrar os atrativos do produto e do serviço
  • Fazer com que a pessoa realize algum tipo de ação – seja comprar o produto na página do e-commerce ou clicar no link que você indica no seu e-mail, por exemplo

Onde aplicar: em tudo! Desde blogposts e landing pages, que estão online, a outros formatos, como e-mails e posts de redes sociais. A ideia aqui é converter!

Use gatilhos mentais

Gatilhos mentais

Os gatilhos mentais são técnicas que podem andar lado a lado dos textos construídos com foco em copywriting. Afinal, se você quer que o usuário realize algum tipo de ação a partir do seu texto, deve convencê-lo disso.

Por meio de elementos textuais ou de imagens, você pode ser capaz de motivar pessoas e desencadear ações de forma praticamente automática. Isso acontece porque os gatilhos mentais atuam em uma parte do cérebro que busca tomar decisões sem ter que fazer muita reflexão a respeito do assunto.

Para você entender melhor, vamos exemplificar alguns gatilhos mentais. Imagine que acabaram de anunciar um show de uma cantora famosa na sua cidade. Você decide esperar o seu cartão de crédito virar para realizar a compra, mas se depara com um anúncio da apresentação que diz “últimos ingressos”.

Pode ser que essas duas palavras na mesma frase façam você tomar uma decisão imediata, seja adiantar o pagamento da sua fatura para liberar logo o seu limite, pensar em uma nova forma de pagamento ou quem sabe até pedir o cartão emprestado de outra pessoa. Tudo para não ficar sem as entradas! Esse é o gatilho mental da escassez.

Vamos imaginar outra situação: pense que você seja o idealizador de uma startup que está prestes a lançar um novo aplicativo no mercado. Você já tem o produto e seus benefícios definidos, já conhece sua persona, então pensa em uma estratégia e cria diversos teasers para deixar o seu público ansioso para o lançamento. Esse é o gatilho da antecipação.

E existem muitos outros gatilhos mentais que podem ser explorados ao longo de seus conteúdos e estratégias de marketing digital. Mas atenção! Essas técnicas podem gerar um alto envolvimento afetivo entre o público e a marca. Por isso, devem ser utilizados de forma bastante ética.

Onde aplicar: também é possível usar os gatilhos mentais em tudo! Desde páginas de site, blogposts e landing pages, a e-mails, campanhas e posts de redes sociais.

Conte histórias e seja capaz de envolver o seu público

storytelling

Todos nós já ouvimos histórias que nos marcaram ao longo de nossa vida. Isso acontece porque o nosso cérebro tende a reter mais informações quando elas estão presentes em uma narrativa. Por isso, o storytelling pode ser uma de suas ferramentas para ter uma estratégia de marketing digital de sucesso.

Alguns estudos de neuromarketing já atestaram que a publicidade funciona melhor quando tem recursos de storytelling em seus conteúdos. Com ele, o público guarda mais informações sobre a marca e se envolve emocionalmente com o produto.

Se o conteúdo for criado de um jeito bem feito MESMO, o cérebro responde com liberação de dopamina, substância que faz com que a gente se lembre por mais tempo da história.

Quando estamos falando em consumo então, o storytelling pode ser poderosíssimo! Tudo porque ele desencadeia reações emocionais que são muito mais capazes de motivar uma compra do que fatores racionais.

No storytelling existem diversas técnicas que podem ser usadas a favor da sua empresa. A mais famosa é a jornada do herói, que se desenvolve em três atos: a apresentação, o desenvolvimento (com os conflitos) e a resolução. Estruturas assim são capazes de gerar envolvimento afetivo entre o público e a marca. Mas também existem outras técnicas que devem ser exploradas.

Para exemplificar, vamos usar um exemplo de como a história deve ser utilizada para engajar o seu público e difundir a sua marca. Imagine que você seja uma empresária do ramo da moda com alto envolvimento no lifestyle de determinada tribo.

Você pode usar o storytelling para mostrar como a sua marca foi importante para o desenvolvimento da cultura em que está inserida e pode usar influenciadores do segmento para mostrar o impacto que as roupas têm para pessoas do nicho.

Assim você está contando a história da sua marca de um jeito indireto, sem ter foco em vendas. Também está demonstrando a importância das suas roupas para o lifestyle, gerando uma empatia muito forte com o público, que começará a relacionar a sua empresa a um determinado estilo de vida.

Onde aplicar: é uma ótima estratégia de conteúdo para assuntos mais institucionais. Use em páginas de site, blogposts, materiais ricos, campanhas, fotos e roteiros de vídeos.

Data Driven Journalism

Data Driven Journalism

Se por um lado trabalhar o emocional é muito importante para o marketing, também é essencial trazer um olhar analítico e mais números aos seus conteúdos. Apostar em textos que sejam altamente informativos e embasados por dados, cases, afirmações, etc. com certeza será interessante para a sua empresa.

Esse tipo de informação é capaz de engajar bastante o público principalmente quando analisamos a tendência das pessoas de consumirem cada vez menos anúncios.

A ideia é pegar dados sobre o mercado em que você está inserido e transformá-los em informações significativas para o dia a dia do seu público.

O Kickstarter, empresa de financiamento coletivo, já fez isso. Usando os dados do mercado de crowdfunding que ela tem acesso por ser uma das maiores empresas do segmento, ela criou um material informativo todo baseado em números.

Nele, afirmou que 3,3 milhões de pessoas de quase todos os países do planeta apoiaram um projeto no ano da pesquisa. Também informou a quantia de dinheiro arrecadada pelo Kickstarter para seus projetos.

Se for possível realizar uma pesquisa mais ampla para o segmento, as informações podem dar origem a um material rico cheio de interesse público, que pode impulsionar as suas conversões de forma inacreditável!

O Spotify, empresa de streaming de músicas que você deve utilizar, também é outro case. No fim de 2018, a empresa usou dados de reproduções de artistas e analisou suas playlists para embasar sua campanha de final de ano.

Isso sem falar da retrospectiva que cada usuário podia fazer com as informações de seu perfil na plataforma. As informações de cada pessoa foi divulgada de forma tão espontânea que chegou a viralizar nas redes sociais e aumentar a influência da marca.

Trazer esse tipo de informação à tona é algo que está muito relacionado ao gatilho mental de autoridade, que mostra que sua empresa é realmente referência no assunto. Também é um tipo de informação que faz o seu negócio parecer muito mais interessante para o público-alvo e para a imprensa.

Indo ainda mais além, você também pode analisar as suas próprias métricas de marketing para pensar em ações que tenham mais a ver com o perfil de consumo do seu consumidor. Assim, poderá entender o que pode melhorar no tom da sua comunicação, na escolha das suas pautas e nos formatos adotados para os seus conteúdos.

Onde aplicar: explore essa técnica principalmente nos seus blogposts e materiais ricos (de preferência, infográficos).

Agora que você já conhece as principais técnicas para um bom marketing de conteúdo, ficou mais fácil de entender quais podem ser os erros que a sua empresa anda cometendo nas produções de texto. Contar com o apoio de especialistas é fundamental para garantir uma estratégia que funcione.

Que tal conhecer melhor nossos serviços?


Posts Relacionados

Deixe um comentário